segunda-feira, 12 de abril de 2010

A vida de uma atriz - ou seria escritora?

Por Flávia Costa

Quando alguma famosa resolve se aventurar em alguma coisa nova, coisa mais natural do mundo é encarar a novidade com certa desconfiança. É natural olhar com olhos ansiosos quando a modelo Alinne Moraes resolve virar atriz ou quando a cantora Sandy decide embarcar em um novo tipo de música. A verdade é que muitas vezes essa decisão pode resultar num fracasso, mas em outras poucas pode terminar em uma surpresa boa.


Foi assim com o Livro "Uma vida inventada - Memórias trocadas e outras histórias", da atriz (e também escritora) Maitê Proença. Peguei o livro como quem não quer nada, e acabei surpresa: não é que Maitê escreve bem? O livro é uma mistura de viagem de bordo - a moça viajou, viu? - com uma biografia bastante sofrida e bem surpreendente.


Maitê, sua mãe Margot e sua avó na sequência

Quem vê cara não vê coração e isso fica claro quando lemos a história da atriz e começamos a perceber que por trás da beleza que sempre chegou antes de seu talento e dos diversos papéis que ela interpretou, existe uma vida peculiar, digna de novela. Maitê discorre sobre si mesma sem um pingo de autopiedade, mais propensa à determinadas críticas a si mesma do que qualquer outro argumento.

E isso, concluo eu, é positivo. Em determinada parte do livro ela diz " Eu mesma, no íntimo, sou bem comum" e enquanto discorremos sobre as páginas sentimos exatamente o oposto. Talvez a atriz tenha tido uma vida extraordinária e completamente diferente da nossa, pobres mortais, mas interiormente, suas inseguranças, medos e ressalvas são comuns.

Enfim, não é o melhor livro da literatura nacional recente, mas é uma boa leitura para o universo feminino que talvez não nos leve a reflexão alguma, a não ser a compreensão da história e a revelação de outra pessoa. Famosa. E cá entre nós, adoramos isso!




4 comentários:

VEREDAS, por Marluce disse...

Há sempre opiniões pré concebidas em relação "as carinhas" tevisível, mas em cada carinha esconde um coração, um talento, um ser que veste personagens, mas desnuda a sua em papéis reais, em que opiniões alheias não imperam e elas brilham.


Gostei muito do seu postado, parabéns!


Marluce

azuldesetembro disse...

Oi, Flávia!

Conheço muito pouco sobre a Maitê Proença (além das declarações inoportunas que ela solta às vezes), mas vou dar uma checada na síntese do livro. :)

Bonito blog.

Antenor Thomé disse...

Olá,

Acabei de conhecer o blog de vocês por causa do antenado e pelo fato de terem adicionado o meu blog na lista de indicação de vocês.
Gostei bastante dos posts e dos textos...
Já estão na minha lista também.
Contem comigo no que precisarem..

Um abraço

Antenor Thomé
www.muraldoantena.com.br

Piscianascaoticas disse...

Oi, Flávia!
O livro é realmente surpreendente e fantástico. A descrição que ela faz sobre a descoberta da sua fé e espiritualidade é muito linda...
Bjs,
Chayanne

Postar um comentário